Novas linhas Sputtering para o cumprimento das diretrizes RoHS e ELV

Os processos de cromagem adotados pelas máquinas Kolzer, além de serem com descarga zero, utilizam cromo metálico, ou seja, "zerovalente" . Trata-se de cromo orgânico absolutamente não poluente.

Assim, é possível continuar a cromar para fins estéticos/funcionais, pois o cromo zerovalente utilizado pelas maquinarias Kolzer responde completamente às novas exigências ditadas pela diretriz RoHS e a diretriz para o setor automobilístico ELV.

A Diretriz RoHS é a normativa 2002/95/CE (chamada geralmente RoHS do inglês: Restriction of Hazardous Substances Directive) adotada em fevereiro de 2003 da Comunidade Europeia. Impõe restrições sobre o uso de determinadas substâncias perigosas na construção de vários tipos de equipamentos elétricos e eletrônicos. É estritamente ligada com a diretriz sobre reciclagem de equipamentoes elétricos e eletrônicos (chamada WEEE do inglês Waste Electrical and Electronic Equipment) 2002/96/CE que regula o acúmulo, reciclagem e recuperação para os equipamentos elétricos e faz parte de uma iniciativa de lei para resolver o problema da enorme quantidade de
resíduos gerados pelos equipamentos eletrônicos obsoletos.

Tornou-se obrigatória desde 1° de julho de 2006. A RoHS se aplica aos produtos construídos ou importados na União Europeia e apresenta vínculos sobre o uso do Cromo hexavalente (Cromo VI ou Cr6+). O cromo hexavalente é usado em tratamento de cromagem, em componentes ferrosos e não ferrosos, para evitar a corrosão e o desgaste das superfícies, como também conferir uma estética atraente. Lembrar que o cromo hexavalente é um agente cancerígeno. Entre em contato conosco, expondo-nos as suas exigências e lhe forneceremos todas as indicações para adotar um sistema Kolzer na sua empresa.

E mais, os custos de instalação e operativos são infinitamente mais baixos em relação à cromagem galvânica; o resultado das operações, além de ser "limpo", confere maiores "desempenhos" e inumeráveis cores e tons metálicos.